Actividades Educativas 

Para quem quer Aprender mais sobre Arqueologia e Pré-historia

  • dirigidas por arqueólogos ou outros técnicos especializados em património, utilizando os dados mais recentes produzidos pela investigação em arqueologia.

  • focadas na visitação de sítios de importância excepcional e na experimentação das técnicas, ferramentas e matérias-primas utilizadas na pré-história.

  • concebidas para partilhar o conhecimento de uma forma que seja enriquecedora e útil para os visitantes mas também entusiasmante e divertida.

 

Visita Guiada Almendres/Zambujeiro

Visite o Cromeleque dos Almendres e a Anta Grande do Zambuejiro com um arqueólogo.

Esta visita procura educar sobre a vida no período Neolítico através da visitação de alguns dos mais importantes monumentos megalíticos do mundo: o Cromeleque e Menir dos Almendres e a Anta Grande do Zambujeiro

 

Procuramos oferecer um enquadramento arqueológico aprofundado sobre os períodos e os monumentos que visitamos, incluindo os aspectos técnicos, cronológicos e culturais da sua construção bem como diferentes dados sobre o quotidiano das pessoas que os construíram

 

Para além destes dados sobre o mundo físico das comunidades neolíticas, procuramos partilhar também as diferentes interpretações formuladas pelos arqueólogos sobre o mundo da arte, das ideias e das crenças destes nossos antepassados. 

 

Vamos falar sobre o momento em que, após o final da última era glaciar, a Humanidade aprende a domesticar as plantas e os animais e adopta um estilo de vida sedentário. É uma das maiores mudanças da nossa existência enquanto espécie, não apenas do ponto de vista económico mas também social e cultural.               

 

Como todos os monumentos que visitamos estão enquadrados por uma paisagem natural também ela muito especial - o Montado - procuramos, complementarmente, dar algum enquadramento sobre as espécies principais como o sobreiro e a azinheira bem como alguma da fauna e flora que encontremos pelo caminho.

  • Sitios visitados: Cromeleque e Menir dos Almendres; Anta Grande do Zambujeiro

  • Duração: de cerca de 3 horas

  • Idiomas: Pode ser guiada em Português, Espanhol ou Inglês

  • Nº min e max de px: 3px (ou valor equivalente) a 7px por visita

  • Horários: Manhã (10h às 13h); Tarde (14h às 17h)

  • Custo: 30€ por pessoa

Pedido de Reserva
arrow&v
arrow&v
arrow&v
 

Workshop Cerâmica Manual

Venha Fazer a sua própria Cerâmica Pré-histórica!

Neste Workshop irá aprender sobre a teoria, a prática e o contexto arqueológico da cerâmica manual (feita sem roda de oleiro), culminando com a modelagem, decoração e cozedura da sua própria reprodução pré-histórica. 

 

A importância da cerâmica para a arqueologia e o estudo da pré-história prende-se com o facto de esta - em conjunto com a pedra - consubstanciar a maioria da cultura material que sobreviveu ao passar dos milénios. Pode fornecer informação importante sobre as técnicas de produção, a origem das matérias primas e os seus diferentes usos. 

 

É um dos primeiros materiais não naturais criados pela Humanidade e resulta da combinação de argila e elementos não plásticos (como fragmentos de quartzo, de osso, de conchas,  ou de matéria vegetal) numa pasta que é modelada, seca e posteriormente cozida a altas temperaturas (acima dos 650 º C) - um processo que provoca uma alteração química na pasta modelada e que a transforma num material muito mais resistente e impermeável. 

Neste workshop terá oportunidade fazer a sua pasta, modelar e decorar uma ou várias reproduções pré-históricas que ficarão para si, após a cozedura. A cerâmica leva por norma cerca de duas semanas a secar (após a sua modelagem) antes que possa ser cozida. Após a secagem as suas peças serão incluídas numa das soengas que fazemos regularmente no Centro Interpretativo.

  • Local: Centro Intepretativo dos Almendres

  • Duração: cerca de 2 horas

  • Idiomas: Português, Espanhol ou Inglês

  • Nº min. de 3 px (ou valor equivalente) e máx. de px: 8 pessoas por workshop

  • Horários: Manhã (10h às 12h); Tarde (14h a 16h)

  • Custo: 30€ por pessoa (50% de desconto para crianças até aos 12 anos)

  • NOTA: Cada participante pode levar consigo as peças que produzir ou recolhê-las algumas semanas mais tarde no CIA, após a sua cozedura (ou recebê-las por correio em sua casa).

Pedido de Reserva
arrow&v
arrow&v
arrow&v
 

Workshop Talhe de Pedra

Venha Fazer a sua própria seta Neolítica!

O fabrico de ferramentas e utensílios em pedra é um dos ofícios mais antigos da Humanidade. Durante a maioria da nossa existência - cerca de três milhões de anos - o domínio desta habilidade foi vital para a nossa sobrevivência  Era o suporte usado na maioria das armas de caça e nas ferramentas para a recoleção, o processamento de peles e fibras vegetais, no abate de árvores e na construção de estruturas. 

 

É o elemento mais dominante na cultura material que sobreviveu até aos nossos dias e serviu de base para a definição de todos os períodos da pré-história: o paleolítico (idade da pedra antiga), o mesolítico (idade da pedra do meio), o neolítico (nova idade da pedra) e o calcolítico (idade da pedra e do cobre). 

   

Neste workshop irá conhecer a teoria, a prática e o contexto arqueológico do talhe de pedra. Esta é uma técnica que leva muitos anos a aprender e dominar pelo que iremos começar por uma das peças mais comuns e simples: uma ponta de seta feita a partir de uma lasca de sílex. 

 

Para além do talhe da ponta vamos também falar sobre (e trabalhar) as colas, ataduras, madeiras e penas utilizadas na elaboração das setas durante a pré-historia. Todos os participantes irão no final montar a sua própria seta com todos os elementos e ter a oportunidade de a disparar com um arco Neolítico. 

  • Local: Centro Intepretativo dos Almendres

  • Duração: cerca de 2 horas

  • Idiomas: Português, Espanhol ou Inglês

  • Nº min. de 3 px (ou valor equivalente) e máx. de px: 8 pessoas por workshop

  • Horários: Manhã (10h às 12h); Tarde (14h a 16h)

  • Custo: 30€ por pessoa (50% de desconto para crianças até aos 12 anos)

  • NOTA: Cada participante pode levar consigo as peças que produzir.

Pedido de Reserva
arrow&v
arrow&v
arrow&v
 

Workshop Placas de Xisto

Venha Aprender e fazer as suas placas de xisto!

Embora o seu significado permaneça em grande parte um enigma, os objectos considerados votivos são, por norma, de uma beleza e atractividade excepcionais e sem uma aplicabilidade prática aparente. Para os períodos sem escrita, estes são os "documentos" disponíveis à arqueologia que permitem sugerir pistas, não apenas sobre a sua economia, tecnologia e estética, mas também sobre as ideias e crenças das sociedades que os criaram.

 

Neste contexto, as placas de xisto são objectos de grande riqueza artistica e simbólica, típicos do neolítico final e idade do cobre no sudoeste da Península Ibérica. Por norma retangulares ou trapezoidais em xisto polido (profusamente decoradas com padrões geométricos e antropomórficos) e com perfurações no topo, pelo que se pressupõe que fossem usadas ao pescoço, como pendentes. Este aspecto levou bastantes arqueólogos a sugerir que representariam uma divindade neolítica mas estudos mais recentes sugerem também que os padrões possam ter servido para representar a linhagem familiar do proprietário.

 

Neste workshop vai aprender sobre o contexto arqueológico das placas de xisto mas também como elas eram trabalhadas, polidas e decoradas. Vai ter a oportunidade de decorar duas placas (uma grande e uma pequena) e também de aprender sobre outra tecnologia: o fabrico de corda com fibras vegetais. Este conhecimento vai-lhe permitir fazer o seu próprio fio para usar com a sua placa de xisto. 

 

Pedido de Reserva
arrow&v
arrow&v
arrow&v
  • Local: Centro Intepretativo dos Almendres

  • Duração: cerca de 2 horas

  • Idiomas: Português, Espanhol ou Inglês

  • Nº min. de 3 px (ou valor equivalente) e máx. de px: 8 pessoas por workshop

  • Horários: Manhã (10h às 12h); Tarde (14h a 16h)

  • Custo: 30€ por pessoa (50% de desconto para crianças até aos 12 anos)

  • NOTA: Cada participante pode levar consigo as peças que produzir.

 

Workshop de Armas Pré-históricas

Venha aprender a disparar o propulsor e o arco!

A caça e o conflito são duas actividades que parecem acompanhar a Humanidade desde os primórdios da pré-história. A necessidade e o engenho foram tornando o uso dos mesmos materiais - madeira, pedra, osso e fibras - cada vez mais complexo.

 

As lanças de madeira e os bifaces (ferramenta multi-usos em pedra lascada) parecem ter dominado o arsenal dos nossos antepassados mais longínquos. Desde o desenvolvimento das primeiras ferramentas há três milhões de anos, até ao Paleolítico Superior (há cerca de 65.000 anos), permaneceu praticamente inalterado.

 

Mas durante esse período  em plena Idade do Gelo, é desenvolvido um dos sistemas de disparo à distancia mais bem sucedidos e difundidos na pré-história - o propulsor e o dardo. Este sistema permitiu aos caçadores do final do paleolítico o domínio do seu ecossistema e a possibilidade de caçar a mega fauna da época, como os auroques, os cavalos selvagens, os rinocerontes lanudos ou os mamutes. 

 

Contudo, foi após o final da última era glaciar, com as profundas mudanças ecológicas em curso, que ganha tração a arma mais importante da pré-história - o arco. A nova fauna que emergiu após o final da Idade do Gelo - mais pequena e rápida - tornou o arco na arma de eleição.

Neste workshop irá aprender sobre a teoria e a prática destas duas armas da pré-história com a oportunidade de disparar ambas e de experimentar diferentes tipos de projecteis e alvos.

  • Local: Centro Intepretativo dos Almendres

  • Duração: cerca de 1 hora

  • Idiomas: Português, Espanhol ou Inglês

  • Nº min. de 3 px (ou valor equivalente) e máx. de px: 8 pessoas por workshop

  • Horários: Manhã (entre as 10h e as 13h); Tarde (entre as 14h e as 16h)

  • Custo: 10€ por pessoa (50% de desconto para crianças até aos 12 anos)

Pedido de Reserva
arrow&v
arrow&v
arrow&v

Sombra Legível Lda (dententora da marca registada Ebora Megalithica)

eboramegalithica@gmail.com | +351 266 782 069

Rua do Cromeleque, Centro Interpretativo dos Almendres, Guadalupe, Évora  7000 - 222 (Alentejo, Portugal)