tri2hoxUntitled-1.png

Actividades Educativas para Escolas

Leccionadas Por arqueólogos ou outros técnicos especializados em património, utilizando os materiais e técnicas originais 

    As propostas que compõem a nossa oferta pedagógica foram desenhadas, especificamente, para os alunos do do 2o e 3o ciclos do EB (5o e 7o anos), como forma de enriquecer os programas curriculares da disciplina de História e Geografia de Portugal, procurando complementá-los com atividades e experiências que apenas são possíveis desenvolver fora do contexto de sala de aula e com recurso a técnicos especializados.

 

   No espaço exterior do Centro Interpretativo dos Almendres dispomos de um parque pedagógico que inclui a reprodução de dois abrigos de caçadores- recoletores e de uma cabana de pastores agricultores (em escala real e construídos com os materiais e técnicas originais), bem como do correspondente equipamento do quotidiano, tal como armas de caça, instrumentos de pedra lascada e polida, cerâmica, objetos votivos, entre muitos outros. Também dispomos de uma coleção de réplicas 3D de crânios dos principais membros da linha evolutiva humana.

     Rodeados por uma paisagem de Montado, dispomos ainda de uma ampla zona verde junto à ribeira de Valverde com um jardim de plantas autóctones, mesas de pic-nic com capacidade para 48 lugares sentados e um conjunto de 12 painéis interpretativos de grande dimensão sobre a arqueologia e ecologia locais.

As nossas atividades educativas (alinhadas com as Aprendizagens Essenciais e todos os conteúdos programáticos de pré-história do 5o e 7o anos) incluem:

A) uma aula prática ao ar livre com demonstrações de tecnologias (como fogo primitivo, talhe de pedra, disparo de armas pre históricas, entre outros), manipulação de réplicas e actividades de arqueologia experimental

B) uma visita guiada por um arqueólogo ao Cromeleque dos Almendres.

Procuramos proporcionar aos alunos uma experiência enriquecedora e estimulante, através do contacto direto com a paisagem, os arqueólogos, os materiais, as estruturas e as tecnologias da pré-história. Estas diferentes atividades - aula prática e visita guiada - podem ser desenvolvidas de forma independente ou combinadas. Todas as sessões propostas respeitam os documentos curriculares estruturantes, designadamente as Aprendizagens Essenciais dos 5.o e 7.o anos, permitindo aprofundar os temas relacionados com a pré-história, os primeiros povos peninsulares e a compreensão da paisagem. Procuramos implementar soluções pedagógicas imersivas, ambientalmente bem enquadradas, numa abordagem interdisciplinar.

AULA PRÁTICA DE PRÉ-HISTORIA

tri2man45Untitled-1.png

Local: Centro Interpretativo dos Almendres (espaço exterior)
Duração: 90 minutos
Custo: 6,5€ por aluno (mínimo de 20 alunos por aula e máximo de 50 alunos); inclui IVA e todos os materiais utilizados; gratuito para os professores e auxiliares que acompanham as turmas)

Descrição:

• Aula prática ao ar livre, lecionada por arqueólogos e com o recurso aos materiais, estruturas e tecnologias dos diferentes períodos da pré-história;

    

  • Especialmente focada nos conteúdos programáticos do 5o e 7o ano de escolaridade, podendo ser adaptada, na linguagem e na profundidade, para corresponder às necessidades especificas de cada um desses níveis de ensino;

  • Inclui explicações teóricas e demonstrações práticas como talhe de pedra, produção de fogo por fricção, disparo de propulsor e arco, elaboração e uso de pigmentos rupestres, torção de corda com fibras naturais, entre outros;

  • Inclui o manuseamento de réplicas de peças arqueológicas de todos os períodos da pré-história;

  • Inclui uma brochura de apoio complementar com infografia e cronogramas para cada um dos alunos que ajuda a compreender melhor os conteúdos abordados e as experiências

    desenvolvidas na sessão;

  • Inclui a oferta de um colar placa de xisto que

    será gravado por cada aluno com o recurso a uma ferramenta de sílex durante a actividade prática de arqueologia experimental.

  • Plano da aula:

I. Qual é a diferença entre história e pré-história?

Conceitos-chave: fontes escritas, orais e materiais; amplitude cronológica, ciências sociais

II. Quais são as ferramentas que a arqueologia utiliza para estudar o passado?

Conceitos-chave: prospeção, escavação; estratigrafia, métodos de datação, experimentação, interdisciplinaridade

III. Quais são os principais períodos da pré-história?

Conceitos-chave: fósseis diretores; Paleolítico; Mesolítico; Neolítico; Calcolítico; Idades do Bronze e do Ferro

IV. Onde e quando surgiu a Humanidade?

Conceitos-chave: antropologia; fósseis; genética, África, primatas, austrolopithecus, hominídeos, mudanças físicas e cognitivas, migração global

V. Como era a vida das sociedades de caçadores- recoletores?

Conceitos-chave: caça e recoleção; nomadismo; pedra lascada; fogo; Idades do Gelo;; arte móvel; arte rupestre; Homo Neanderthal; Gruta do Escoural; Foz-Côa; Altamira; Atapuerca; estuários do Tejo, Sado e Guadiana 

VI. Quando surgiram a agricultura e a pastorícia e quais as mudanças que trouxeram? 

Conceitos-chave: alterações climatéricas; domesticação; sedentarização; conflito; monumentos megalíticos; arte rupestre; arte móvel; Almendres; Anta do Zambujeiro; povoado e necrópole dos Perdigões.

tri2man45Untitled-1.png

Visita Guiada ao Cromeleque dos Almendres

Local: Cromeleque dos Almendres
Duração: 60 minutos
Custo: 3,5€ por aluno (mínimo de 20 alunos por visita e máximo de 60 alunos); inclui IVA e todos os materiais utilizados; gratuito para os professores e auxiliares que acompanham as turmas)

Descrição:

• Visita guiada, por arqueólogos, ao maior monumento megalítico da península Ibérica e um dos mais importantes na Europa: o Cromeleque dos Almendres;

 

  • Especialmente focada nos conteúdos programáticos do 5o e 7o ano de escolaridade, podendo ser adaptada, na linguagem e na profundidade, para corresponder às necessidades especificas de cada um desses níveis de ensino.

  • Todos os alunos recebem uma brochura de apoio complementar com infografia e cronogramas que ajudam a compreender melhor a matéria.

     

  • Programa da Visita:

I. Quem descobriu e estudou o Cromeleque dos Almendres?

Conceitos-chave: tradição oral; principais investigadores (Galopim de Carvalho, Henrique Leonor Pina, Mário Varela Gomes, Manuel Calado)

II. Quando e como foi construído o Cromeleque dos Almendres?

Conceitos-chave: primeiros pastores/agricultores; cronologia do neolítico; métodos de datação; origem e transporte das pedras; técnicas para erigir e sustentar os menires

III. Porque é que o Cromeleque dos Almendres foi construído?

Conceitos-chave: orientações astronómicas; equinócios e solstícios; importância dos ciclos naturais; arte rupestre; simbolismo e antropomorfismo

IV. Quais são os desafios de conservação que enfrenta?

Conceitos-chave: erosão do solo; erosão da arte rupestre; vandalismo; benefícios e malefícios do turismo; importância da preservação